JellyPages.com
"É curioso como não sei dizer quem sou. Quer dizer, sei-o bem, mas não posso dizer. Sobretudo tenho medo de dizer, porque no momento em que tento falar não só não exprimo o que sinto como o que sinto se transforma lentamente no que eu digo". Clarice Lispector

Seguidores

setembro 23, 2016

Cartoons















Clarissa Corrêa


O que eu peço é que você seja sempre de verdade também. 
Que me queira assim, imperfeita e cheia de confusões. 
Que saiba os momentos 
em que eu preciso de uma mão passando entre os fios de cabelo.
 Que perceba que, às vezes,
 tudo o que eu preciso é do silêncio 
e do barulho da nossa respiração.
Que veja que eu me esforço de um jeito nem sempre certo.
 Que veja lá na frente uma estrada,
 inteiramente nossa, cheia de opções e curvas. 
E que aceite que buracos sempre terão.

"Tudo o que você precisa é de um pouco de auto controle, faça um novo começo".Mama Odie (A Princesa e o Príncipe)



setembro 19, 2016

Balada de Gisberta - Pedro Abrunhosa


Perdi-me do nome, 
Hoje podes chamar-me de tua, 
Dancei em palácios, 
Hoje danço na rua. 
Vesti-me de sonhos, 
Hoje visto as bermas da estrada, 
De que serve voltar
Quando se volta p'ró nada. 
Eu não sei se um Anjo me chama, 
Eu não sei dos mil homens na cama 
E o céu não pode esperar.
Eu não sei se a noite me leva, 
Eu não ouço o meu grito na treva, 
E o fim vem-me buscar.
Sambei na avenida, 
No escuro fui porta-estandarte, 
Apagaram-se as luzes, 
É o futuro que parte.
Escrevi o desejo, 
Corações que já esqueci, 
Com sedas matei
E com ferros morri. 
Eu não sei se um Anjo me chama, 
Eu não sei dos mil homens na cama 
E o céu não pode esperar.
Eu não sei se a noite me leva, 
Eu não ouço o meu grito na treva, 
E o fim vem-me buscar.
Trouxe pouco,
Levo menos, 
E a distância até ao fundo é tão pequena, 
No fundo, é tão pequena, 
A queda.
E o amor é tão longe, 
O amor é tão longe... 
E a dor é tão perto


Para o amigo Wolf - Com voz do compositor Pedro Abrunhosa