JellyPages.com
"É curioso como não sei dizer quem sou. Quer dizer, sei-o bem, mas não posso dizer. Sobretudo tenho medo de dizer, porque no momento em que tento falar não só não exprimo o que sinto como o que sinto se transforma lentamente no que eu digo". Clarice Lispector

Seguidores

agosto 29, 2014

No silêncio da noite - By Sophys


Era nossa primeira noite dormindo juntos.
Meus sentimentos eram confusos, mistura de culpa, medo e excitação.
Comprei para a ocasião uma camisola preta de seda com detalhes de renda,
calcinha bem vadia, transparente, pequena e
com um fio delicado que desenhava nos meus quadris.
Sai do banho pronta para "dormir".

Até parece...

Ele estava  assistindo TV,
nossas camas por um engano no momento da reserva eram de solteiro.
Pode?
Primeira noite dormindo juntos e iamos ficar separados.
Bah!
Claro que quando sai do quarto ele já tinha dado um jeito
 e iamos poder ficar juntinhos durante o nosso sono.
Deite ao seu lado encostei minha cabeça no seu peito.
Senti seu cheiro delicioso.

Me olhou e me beijou.


Subiu sob o meu corpo procurando o meu sexo
quando me tocou sentiu todo o néctar ávido pelo seu toque.
Comentou...
- Você esta deliciosa.
Beijou meu pescoço,
minha boca,
meus seios,
arrancou minha calcinha,
eu a cueca dele.


Veio pra cima de mim,
beijou meu umbigo subindo até minha boca,
procurei seu pau e esfreguei devagar pelos grandes lábios
 que se abriam para recebe-lo.
Fiquei brincando como se fosse um lápis de cor
desenhando todos os detalhes da minha buceta.


Ele colocou seu pau dentro de mim
entrando sem pressa como aquela noite tão especial merecia.
Senti cada cm entrando no meu corpo, ajeitando meus quadris
para facilitar a penetração.
Seu pau invadia meu corpo,
meus gemidos eram sussurros.
Seus olhos me fitavam o tempo todo.
Nossas bocas se procuravam
Os movimentos ficaram mais frenéticos
Nossos corpos colados,
suados,
 trêmulos
e ritmados.
Ele segurava meus seios com força,
 se encaixava cada vez mais forte dentro de mim.
Gozamos,
sem parar de nos olhar.
Por alguns minutos ficamos ali parados aproveitando
aquele momento tão difícil de ser conquistado.


No meio da noite acordei muito molhada
 nem ao menos me lembrava se tinha tomado um banho.
Ele estava ali do meu lado era só provoca-lo um pouquinho para acorda-lo.
Toquei meus seios os bicos estavam arrepiados e duros 
por cima da calcinha me acariciei em movimentos delicados de vai e vem.
Puxei a calcinha para o lado e toquei o meu sexo depilado, 
meus dedos deslisaram suavemente me abrindo toda, 
suspirei deslumbrada com o meu tesão. 
Fiquei me tocando.
Coloquei o dedo dentro e com movimentos de vai e vem
indo até onde conseguia alcançar. 


Ele ali, dormindo tão tranquilamente.
O fogo me consumindo querendo mais e mais.
Me masturbava em silêncio não querendo pertuba-lo,
toquei meu crelinho,
ele vibra com tanto prazer.
Gozei do lado dele...
Sem pertuba-lo...
Sem encomoda-lo...

Ajustei a minuscula calcinha o meu gozo espalhou encharcando o tecido.
Olhei para ele,
 me encaixei no seu corpo e adormeci.
De manhã...



Ai e outro conto depois te conto.
By sophys


Caio Fernando


"E recomeçar é doloroso, faz-se necessário investigar novas verdades, 
adequar novos valores e conceitos. 
Não cabe reconstruir duas vezes a mesma vida numa só existência.
 Épor isso que me esquivo e deslizo por entre as chamas do pequeno fogo, 
porque elas queimam - 
e queimar também destrói."

agosto 28, 2014

“Nunca mais se viram, nunca mais se tocaram e nunca mais serão os mesmos.” Tati Bernardi



Martinho Lutero


"A ingratidão,
 a soberba, 
a hipocrisia
e a inveja são animais ferozes. 
Quando mordem, 
deixam feridas profundas."

Lou Andreas Salomé


"Ouse, ouse... ouse tudo!! 
Não tenha necessidade de nada!
 Não tente adequar sua vida a modelos,
 nem queira você mesmo ser um modelo para ninguém.
 Acredite: a vida lhe dará poucos presentes. 
Se você quer uma vida, aprenda ... a roubá-la! 
Ouse, ouse tudo!
 Seja na vida o que você é, 
aconteça o que acontecer.
 Não defenda nenhum princípio,
 mas algo de bem mais maravilhoso: 
algo que está em nós e que queima como o fogo da vida!!"

- Prefácio do Livro Kairós, escrito por Padre Fábio de Melo. Padre Fábio de Melo


"(...) é preciso sabedoria para que não sejamos estrangulados pelo peso do desencontro.
 É compreensível. 
São três tempos disputando o espaço de um só coração. 
O passado, com sua facilidade de nos imputar culpas, 
tornando nossa vida um eterno tribunal,
 cujo julgamento nunca poderá nos conceder uma sentença satisfatória. 
O presente, com suas pressões que nos cegam, 
com urgências que nos privam de saborear as escolhas.
 E o futuro, esse senhor misterioso tecido de névoas, 
esperanças e incertezas."