JellyPages.com
"É curioso como não sei dizer quem sou. Quer dizer, sei-o bem, mas não posso dizer. Sobretudo tenho medo de dizer, porque no momento em que tento falar não só não exprimo o que sinto como o que sinto se transforma lentamente no que eu digo". Clarice Lispector

Seguidores

janeiro 26, 2013

Pérolas,delicadas, sensuais e enfeitam...
















"Saudade é amar um passado que ainda não passou, É recusar um presente que nos machuca, É não ver o futuro que nos convida". Pablo Neruda


"Se vc está seguindo o rumo errado, lembre-se q Deus encheu a estrada de sinais de retorno". H. Jackson Brown


Quente, quente...








Clarice Lispector



"...Estou em plena luta... 
Mas olhe para todos ao seu redor 
e veja o que temos feito de nós 
e a isso considerado vitória nossa de cada dia.
 Não temos amado, acima de todas as coisas. 
Não temos aceito o que não se entende 
porque não queremos passar por tolos.
 Temos amontoado coisas e seguranças 
por não termos um ao outro... 
Temos evitado cair de joelhos 
diante do primeiro de nós que por amor diga: 
tens medo.
... Não temos sido puros e ingênuos
 para não rirmos de nós mesmos 
e para que no fim do dia possamos dizer 
" pelo menos não fui tolo" 
e assim não ficarmos perplexos antes se apagar a luz...
Mas eu escapei disso Lori...
Escapei com a ferocidade com que se escapa da peste
e esperarei até você também estar mais pronta."
Clarice Lispector

P.S.: Também no THE CAVE 

janeiro 25, 2013

NAMORO - por Arnaldo Jabor



"Na hora de cantar todo mundo enche o peito nas boates,
 nos bares, 
levanta os braços, 
sorri e dispara: 
 "eu sou de ninguém, 
eu sou de todo mundo e todo mundo é meu também".
 No entanto,
 passado o efeito do whisky com energético
e dos beijos descompromissados,
 os adeptos da geração "tribalista" se dirigem aos consultórios terapêuticos,
 ou alugam os ouvidos do amigo mais próximo
 e reclamam de solidão, 
ausência de interesse das pessoas, 
 descaso e rejeição. 
A maioria não quer ser de ninguém, 
mas quer que alguém seja seu. 
 Não dá,
 infelizmente, 
para ficar somente com a cereja do bolo 
 - beijar de língua, 
namorar e não ser de ninguém.
 Para comer a cereja é preciso comer o bolo todo,
 e nele, 
 os ingredientes vão além do descompromisso como:
 não receber o famoso telefonema no dia seguinte,
 não saber se está namorando
 mesmo depois de sair um mês com a mesma pessoa, 
 não se importar se a outra estiver beijando outro,
 etc, etc, etc...
 Desconhece a delícia 
de assistir a um filme debaixo das cobertas num dia chuvoso 
comendo pipoca com chocolate quente, 
o prazer de dormir junto abraçado, 
 roçando os pés sob as cobertas e a troca de cumplicidade,
 carinho e amor. 
 Namorar é algo que vai muito além das cobranças.
 É cuidar do outro e ser cuidado por ela,
 é telefonar só para dizer bom dia, 
 ter uma boa companhia para ir ao cinema de mãos dadas,
 ter alguém para fazer e receber cafuné, 
 um colo para chorar, 
uma mão para enxugar lágrimas
 enfim, 
é ter ´alguém para amar´ ...
Somos livres para optarmos!
 E ser livre não é beijar na boca e não ser de ninguém.
 É ter coragem, 
ser autêntico e se permitir viver um sentimento."

Karla Tabalipa


Que nunca me falte essa vontade de seguir,
sem parar por muito tempo pra lamentar.
Que nunca me faltem os abraços apertados
que tanto me acalmam durante as recaídas.
Que eu nunca fique sem meus anjos da terra,
a quem costumo chamar de amigos.
E que sempre que eles precisarem de mim,
eu possa me fazer presente.
Que eu consiga sempre enxergar o tamanho do meu valor.
E identificar rapidamente as pessoas
que não merecem minha companhia.
Que eu nunca esqueça que pessoas melhores virão,
e substituirão aquelas que nunca mereceram o lugar
que ocuparam no meu mundo.
Mas ainda sim,
que eu entenda que essas pessoas que me fizeram sofrer,
entraram na minha vida
pra que eu aprendesse a dar o devido valor
àquelas que realmente merecem.
Que eu não desaprenda a amar.
Que eu aceite ser amada.
Que eu não deseje o mal daqueles
que insistem em me atingir,
por capricho,
insegurança e inveja.
E que eu desconheça essas mediocridades.


Que nunca me falte essa vontade de seguir,
sem parar por muito tempo pra lamentar.
Que nunca me faltem os abraços apertados
que tanto me acalmam durante as recaídas.
Que eu nunca fique sem meus anjos da terra,
a quem costumo chamar de amigos.
E que sempre que eles precisarem de mim,
eu possa me fazer presente.
Que eu consiga sempre enxergar o tamanho do meu valor.
E identificar rapidamente as pessoas
que não merecem minha companhia.
Que eu nunca esqueça que pessoas melhores virão,
e substituirão aquelas que nunca mereceram o lugar
que ocuparam no meu mundo.
Mas ainda sim,
que eu entenda que essas pessoas que me fizeram sofrer,
entraram na minha vida
pra que eu aprendesse a dar o devido valor
àquelas que realmente merecem.
Que eu não desaprenda a amar.
Que eu aceite ser amada.
Que eu não deseje o mal daqueles
que insistem em me atingir,
por capricho,
insegurança e inveja.
E que eu desconheça essas mediocridades.

Karla Tabalipa

P.S.: Postagem no - THE CAVE

"A gente sé encontra a cara metade quando o coração esta inteiro". Lidia Vasconcelos


Palavras do ator Wagner Moura sobre o Pânico na TV, em carta aberta, divulgada no globo.com:


“Quando estava saindo da cerimônia de entrega do prêmio APCA, há duas semanas em São Paulo, fui abordado por um rapaz meio abobalhado. Ele disse que me amava, chegou a me dar um beijo no rosto e pediu uma entrevista para seu programa de TV no interior. Mesmo estando com o táxi de porta aberta me esperando, achei que seria rude sair andando e negar a entrevista, que de alguma forma poderia ajudar o cara, sei lá, eu sou da época da gentileza, do muito obrigado e do por favor, acredito no ser humano e ainda sou canceriano e baiano, ou seja, um babaca total. Ele me perguntou uma ou duas bobagens, e eu respondi, quando, de repente, apareceu outro apresentador do programa com a mão melecada de gel, passou na minha cabeça e ficou olhando para a câmera rindo. Foi tão surreal que no começo eu não acreditei, depois fui percebendo que estava fazendo parte de um programa de TV, desses que sacaneiam as pessoas. Na hora eu pensei, como qualquer homem que sofre uma agressão, em enfiar a porrada no garoto, mas imediatamente entendi que era isso mesmo que ele queria, e aí bateu uma profunda tristeza com a condição humana, e tudo que consegui foi suspirar algo tipo “que coisa horrível” (o horror, o horror), virar as costas e entrar no carro. Mesmo assim fui perseguido por eles. Não satisfeito, o rapaz abriu a porta do táxi depois que eu entrei, eu tentei fechar de novo, e ele colocou a perna, uma coisa horrorosa, violenta mesmo. Tive vontade de dizer: cara, cê tá louco, me respeita, eu sou um pai de família! Mas fiquei quieto, tipo assalto, em que reagir é pior.

” O que vai na cabeça de um sujeito que tem como profissão jogar meleca nos outros? É a espetacularização da babaquice ”

O táxi foi embora. No caminho, eu pensava no fundo do poço em que chegamos. Meu Deus, será que alguém realmente acha que jogar meleca nos outros é engraçado? Qual será o próximo passo? Tacar cocô nas pessoas? Atingir os incautos com pedaços de pau para o deleite sorridente do telespectador? Compartilho minha indignação porque sei que ela diz respeito a muitos; pessoas públicas ou anônimas, que não compactuam com esse circo de horrores que faz, por exemplo, com que uma emissora de TV passe o dia INTEIRO mostrando imagens da menina Isabella. Estamos nos bestializando, nos idiotizando. O que vai na cabeça de um sujeito que tem como profissão jogar meleca nos outros? É a espetacularização da babaquice. Amigos, a mediocridade é amiga da barbárie! E a coisa tá feia.

” Isso naturalmente não o impediu de colocar a cagada no ar. Afinal de contas, vai dar mais audiência ”

Digo isso com a consciência de quem nunca jogou o jogo bobo da celebridade. Não sou celebridade de nada, sou ator. Entendo que apareço na TV das pessoas e gosto quando alguém vem dizer que curte meu trabalho, assim como deve gostar o jornalista, o médico ou o carpinteiro que ouve um elogio. Gosto de ser conhecido pelo que faço, mas não suporto falta de educação. O preço da fama? Não engulo essa. Tive pai e mãe. Tinham pais esses paparazzi que mataram a princesa Diana? É jornalismo isso? Aliás, dá para ter respeito por um sujeito que fica escondido atrás de uma árvore para fotografar uma criança no parquinho? Dois deles perseguiram uma amiga atriz, grávida de oito meses, por dois quarteirões. Ela passou mal, e os caras continuaram fotografando. Perseguir uma grávida? Ah, mas tá reclamando de quê? Não é famoso? Então aguenta  O que que é isso, gente? Du Moscovis e Lázaro (Ramos) também já escreveram sobre o assunto, e eu acho que tem, sim, que haver alguma reação por parte dos que não estão a fim de alimentar essa palhaçada. Existe, sim, gente inteligente que não dá a mínima para as fofocas das revistas e as baixarias dos programas de TV. Existe, sim, gente que tem outros valores, como meus amigos do MHuD (Movimento Humanos Direitos), que estão preocupados é em combater o trabalho escravo, a prostituição infantil, a violência agrária, os grandes latifúndios, o aquecimento global e a corrupção. Fazer algo de útil com essa vida efêmera, sem nunca abrir mão do bom humor. Há, sim, gente que pensa diferente. E exigimos, no mínimo, não sermos melecados.

No dia seguinte, o rapaz do programa mandou um e-mail para o escritório que me agencia se desculpando por, segundo suas palavras, a “cagada” que havia feito. Isso naturalmente não o impediu de colocar a cagada no ar. Afinal de contas, vai dar mais audiência. E contra a audiência não há argumentos. Será?"

Há um ditado oriental que diz:

Se dois homens vêm andando por uma estrada, cada um carregando um pão e, ao se encontrarem, eles trocarem os pães, cada homem vai embora com um pão. Porém, se dois homens vêm andando por uma estrada, cada um carregando uma ideia, e, ao se encontrarem, eles trocarem as ideias, cada homem irá embora com duas ideias.

As ideias e a fé nelas é que transformam os sonhos em realidade. Ideias e fé produzem luz...

MUITA LUZ PARA VOCÊ EM 2013!

"Ainda que anoiteça, haverá sempre um coração amanhecendo para o amor". Lídia Vasconcelos


janeiro 22, 2013

Castro Alves


 "Ela tem uma graça de pantera. 
No andar bem-comportado de menina. 
No molejo em que vem sempre se espera 
Que de repente ela lhe salte em cima  
A mim me enerva o ardor com que ela vibra 
 E que a motiva desde de manhã. 
-Como é que pode, 
digo-me com espanto".
 Castro Alves

Quero seu beijo


"Para fazer uma obra de arte não basta ter talento, não basta ter força, é preciso também viver um grande amor". -Wolfgang Amadeus Mozart



Para fazer uma obra de arte não basta ter talento, 
não basta ter força, 
é preciso também viver um grande amor.
Que passem os minutos, 
dias e anos...
Todas as estações do tempo! 
Que eu viva, qual tolo, todas as ilusões
pueris de sentimento... 
Amar-te-ei, em todas as épocas,
em todo momento
Que passem as águas por muitas pontes
e que debruce a saudade por muitas
serras e montes, amar-te-ei, 
como se fosse a primeira vez e única,
apesar das tantas aventuras! 
Ainda além deste céu, nas alturas.
Eternamente...
Ainda que outro alguém o tenha
entre lençóis confidentes, 
mesmo que os beijos sejam molhados
e quentes, 
à parte, nossa alma vaga enamorada,
sobre qualquer prazer da carne ou qualquer
entrega fugaz . 
Eternas, apaixonadas 
Amar-te-ei, sobre qualquer dor que me pese
o orgulho ferido, o despeito revolvido! 
Sobre qualquer punhalada em meu coração, 
sobre qualquer distância a nós imputada...
Porque sei, amor de mim , que ainda assim... 
Não é pequeno o nosso comprometimento . 
Ah! Soubessem todos o tamanho ! 
Pobre carne, pequeno tempo !

Wolfgang Amadeus Mozart


"Em cada escolha arriscas a vida que poderias ter; em cada decisão, perdê-la". Richard Bach


Beethoven



"Eu só consigo pensar em você minha amada imortal
Só posso viver plenamente com você ou não posso viver. 
Fique calma minha vida, 
Meu tudo.
Somente com a calma da consideração da nossa existência,
Alcançaremos nosso propósito de vivermos juntos.
Oh! continue me amando
E nunca julgue mal o tão leal coração do seu amado
A qualquer tempo
Sempre minha
Sempre nosso"
Beethoven

"Nada acontece por acaso. Não existe a sorte. Há um significado por detrás de cada pequeno ato. Talvez não possa ser visto com clareza imediatamente, mas sê-lo-á antes que se passe muito tempo." Richard Bach


"Não há enganos. Os acontecimentos que recaem sobre ti, por muito desagradáveis que sejam, são necessários para que aprendas aquilo que precisas aprender. Cada passo que dás é necessário para chegar ao local que escolheste". Richard Bach


janeiro 21, 2013

O PODER DE NOSSAS ESCOLHAS - Richard Bach



Coisas ruins não são o pior que pode nos acontecer. 
O que de pior pode nos acontecer é NADA.
Uma vida fácil nada nos ensina. 
No fim, é o que aprendemos o que importa: 
o que aprendemos e como nos desenvolvemos.
Traçamos nossas vidas pelo poder de nossas escolhas. 
Quando nossas escolhas são feitas passivamente, 
quando não somos nós mesmos que traçamos nossas vidas,
nos sentimos frustrados.
Uma pequena mudança hoje pode acarretar-nos um amanhã profundamente diferente. 
São grandes as recompensas para aqueles que têm a coragem de mudar,
 mas essas recompensas acham-se ocultas pelo tempo.
Geramos nossos próprios meios. 
Obtemos exatamente aquilo pelo que lutamos. 
Somos responsáveis pela vida que nó próprios criamos. 
Quem terá a culpa, a quem cabe o louvor, senão a nós mesmos? 
Quem pode mudar nossas vidas, a qualquer tempo, senão nós mesmos?
Deus sabe que isto é verdade
Richard Bach

"Amar alguém incondicionalmente é não nos preocuparmos com o que essa pessoa é ou faz". Richard Bach


"A música é capaz de reproduzir, em sua forma real, a dor que dilacera a alma e o sorriso que inebria". Ludwig van Beethoven


Expectativas e encantamento pelo BDSM - por Sophysticada Atrevida!

Minha primeira vez no The cave


"Uns dos momentos mais agradáveis que tenho, são quando posso trocar figurinhas com meus amigos e o assunto BDSM sempre vem à tona. Quando sou questionada o que me encantou no BDSM.
Respondo: foi à possibilidade de encontrar alguém pra cuidar de mim. Acredite se quiser os dominadores que conhecia sempre diziam isso: 'vou cuidar de você'. Eu acreditei!
Talvez porque tenha muitas responsabilidades, por alguns momentos não quero cuidar e sim ser cuidada. A liberdade de fetiches é outro atrativo delicioso. O experimentar sem pudores me deixa muito empolgadinha. Mas as coisas não funcionam bem assim, o cuidar por vezes é vago e a liberdade sexual pode ser um risco físico e emocional.


O perigo disso me atrai, me fascina, me leva a loucura. Desafia-me. Saber que tenho tantas possibilidades nas mãos é realmente muito excitante.
O que me entristece hoje no BDSM é a quantidade de gente que se diz Dominador(a) ou submissas(os). Conheço mais gente enrolando do que praticando. É uma loucura.
Detesto também, gente que quer o manual de como funciono, não querem nem ter o trabalho de me descobrir, conquistar . Querem tudo prontinho, não é bem assim querido! Relacionamento, qualquer um, é um dia após o outro. O que você pode conseguir é baseado em confiança e respeito, portanto atalho não serve pra nada.
Fico muito incomodada com as pessoas de má fé que se aproximam para satisfazer seus desejos mais mesquinhos. Os vampiros de plantão.


Nas experiências que tive ficaram momentos maravilhosos e outros tão igualmente doloridos. É bom salientar que tudo está em nossas mãos e por muitas vezes não queremos ver o que está realmente acontecendo, somos permissíveis.
Confesso que quando iniciei no BDSM tinha um deslumbre por usar coleira virtual... Achava lindo seu nome juntinho do "DoNo" para mim a importância "é" tão forte como a aliança.


Então surgiu meu primeiro DoNo, quis que procurasse irmã de coleira, me dava obrigações loucas, passei achar que tinha algo muito errado ali. Numa única noite troquei várias vezes de nick e por consequência coleira. Apelidei esse dominador de Sr. Abecedário sinceramente usei todas as letras do alfabeto com ele, pior q ele era tão deliciosamente envolvente que mesmo vendo algo errado eu não partia.
Vivenciei uma única sessão com ele e por vários motivos, fui me afastando gradativamente. Foi à primeira vez que senti a dor da abstinência do domínio psicológico. Foi muito difícil superar. Foi na contra mão de tudo isso que conheci outros dominadores e submissas, agora sim, estava sendo cuidada por amigos e amigas de grande importância até hoje na minha vida.


A vida nos leva por vários caminhos, percorremos com passadas firmes ou não, se envolver num mundo tão embriagante como o BDSM não é tarefa fácil. Exige de nós mesmo dedicação e conhecimento, reconhecer os perigos e os encantos. Sinto-me sempre no dever de auxiliar quem me pede ajuda e socorro quando preciso, foi à forma que encontrei de sobreviver.

Sim! Sou uma sobrevivente..."


By Sophys

"Quantos vivem toda a vida sem descobrir o que sabem e amam? Tantos. Não ser um desses é essa a tua missão". Richard Bach